Categorias
Blog

Inovação radical: o que é, objetivos e exemplos

O conceito de inovação radical traz a ideia de pensar totalmente “fora da caixa” e, dentro da realidade dos empreendedores, esse é o grande desafio.

As empresas que estão, constantemente, em busca de criar um novo produto ou serviço que entrega exatamente o que o cliente precisa de um jeito único podem abraçar esse rótulo de inovadores radicais.

Mas como se pode imaginar, não é nada simples reinventar a roda. 

Embora não seja fácil, é possível adotar essa mudança de pensamento que gera novas oportunidades de mercado, modelos de negócios e expansão do público-alvo.

Se você deseja se aprofundar no assunto, confira abaixo as principais características da estratégia e quando saber se é o momento certo de dar novos passos.

banner-executive-program

O que é inovação radical?

Inovação radical é a prática de oferecer produtos e serviços que não são disponibilizados pelas empresas.

Em outras palavras, significa mudar o público-alvo da empresa, o seu modelo de negócio e o mercado para o qual ela fornece produtos ou serviços.

Trata-se de uma ideia que nasce do livro “Capitalismo, Socialismo e Democracia“, do economista austríaco Joseph Schumpeter e dos conceitos de “destruição criadora” e ganha popularidade a partir dos anos 1950.

No livro, o autor argumenta que “o processo de destruição criadora é o fato essencial do capitalismo” e a inovação radical envolve justamente cenários como esse.

É o tipo de inovação que muda o cenário de uma marca, seja do ponto de vista do mercado ou da dinâmica empresarial.

Os tipos de inovação

Para entender melhor a inovação radical, é importante entender os outros dois tipos de inovação: a incremental e a disruptiva. Veja um pouco mais sobre cada uma delas a seguir:

Radical

É um tipo de inovação que muda a raiz do negócio, ou seja, o cenário de uma empresa, quem serão seus parceiros, consumidores e público alvo ou seja, mudar completamente de mercado e dinâmica empresarial.

A inovação radical pode ocorrer por conta de uma mudança completa no posicionamento da empresa, pela forma de trabalho, pelos processos, pelos serviços e produtos oferecidos ou pela maneira como a empresa escolhe se relacionar com seus clientes.

Um exemplo claro disso é o iPhone da Apple que, quando surgiu, criou características no produto que mudaram completamente o mercado e foram responsáveis por popularizar ainda mais os smartphones na sociedade.

Incremental

A inovação incremental, por sua vez, é aquele em que se adicionam novidades aos produtos, à marca, aos métodos de produção, sem que a mudança seja muito brusca.

Normalmente, trata-se de um tipo de inovação realizada pela própria marca, de modo a complementar e oferecer melhorias para os colaboradores, clientes e ao negócio.

Um exemplo de inovação incremental muito famoso é o Gmail, que surgiu com a finalidade de entregar emails rapidamente e, com o passar do tempo, recebeu várias novas funcionalidades para melhorar a experiência do usuário e tornar a aplicação mais útil e competitiva.

Disruptiva

Por fim, as inovações disruptivas são aquelas que acompanham mais o mercado do que uma marca, produto ou serviço específico.

A inovação disruptiva ocorre por diversos motivos, como uma empresa que ganhou espaço, mas de maneira geral, é escalável, ou seja, atinge múltiplas pessoas ao mesmo tempo.

Um exemplo claro é a Netflix. Antes, o mercado se baseava em locadoras de filmes, como a Blockbuster.

A Netflix entrou no cenário oferecendo DVDs por correspondência, mas inovou e começou a oferecer vídeo por streaming por meio de uma assinatura mensal, o que teve como consequência uma transformação que tirou a Blockbuster do mercado.

Ou seja, a inovação disruptiva é aquela que é capaz de criar algo tão inovador que as soluções que existiam anteriormente se tornam obsoletas.

Quais são os objetivos da inovação radical?

Objetivos da inovação radical

Veja a seguir os principais objetivos da inovação radical:

Pioneirismo

A inovação radical tem como um dos seus principais objetivos fazer com que a empresa se torne pioneira no mercado.

Essa não é uma tarefa fácil. Além de ser financeiramente bastante arriscado, esse tipo de inovação pode custar a reputação de uma corporação caso não seja bem aceita, algo que pode até mesmo ameaçar a continuidade do negócio.

Entretanto, se a inovação radical for bem-sucedida, ela coloca a empresa à frente do mercado e traz uma série de vantagens, como lucros exponenciais, reputação ilibada no mercado e clientes fiéis e apaixonados pela marca.

Maior lucro em um mercado não explorado

Outro objetivo é encontrar novas formas de lucrar em um mercado inexplorado, ou seja, criar novas conexões dentro do mercado e criar uma nova demanda.

Por isso, trata-se de um tipo de inovação que exige bastante pesquisa, testes, estrutura para a realização dos estudos e equipes multidisciplinares de profissionais capacitados e capazes de prever as possíveis reações do mercado para cada nova proposta.

Estabelecer uma nova relação entre cliente e produto ou serviço

A inovação radical também tem o objetivo de criar uma nova maneira de relacionamento entre cliente e produto ou serviço, muitas vezes até mesmo apelando para uma mudança total ou parcial de público-alvo.

Em outras palavras, ao passar por uma inovação radical, os produtos ou serviços devem ser capazes de gerar valor para os clientes, estabelecendo uma relação de credibilidade no curto e médio prazos e, no longo prazo, de fidelidade e promoção.

Quando investir em inovação radical?