Categorias
Blog

Economia digital: o que é e como funciona esse sistema?

A economia digital é um termo usado para descrever a digitalização dos processos produtivos, com a substituição dos meios físicos por digitais.

Em um mercado de consumidores exigentes, que buscam soluções mais ágeis e personalizadas, as empresas vêm promovendo uma transformação digital em seus negócios. 

A inserção de tecnologias disruptivas é acompanhada pela mudança de mentalidade e pela capacitação dos profissionais. E a economia da tecnologia se insere neste contexto de automatizar operações para torná-las mais eficazes.

Nesse post, vamos explicar o que é economia digital, como ela funciona e quais são seus pilares. Também vamos falar sobre os impactos da pandemia na economia da tecnologia e os benefícios deste sistema no ambiente corporativo.

Acompanhe!

Leia também:

O que é economia digital?

Economia digital é a ampla incorporação de tecnologias de computação digital na atividade econômica, o que inclui produção, comercialização e distribuição de serviços e produtos. 

Em outras palavras, os dispositivos digitais, a internet e outras tecnologias, como os softwares, são agregados aos processos produtivos para aprimorar a capacidade de empresas de todos os nichos de mercado.

Ela pode ser aplicada em diversos segmentos, como varejo, prestação de serviços, indústria e agropecuária

Vamos ver como funciona a economia digital?

Como funciona a economia digital?

Como funciona a economia digital?

A digitalização da economia está inserida no contexto da transformação digital, com o foco de entregar uma melhor experiência aos profissionais e aos clientes da empresa.

Para isso, as soluções de TI se tornaram imprescindíveis para conduzir as empresas rumo à inovação em seus processos.

Porém, além delas, o funcionamento deste também se relaciona com a internet, como já apontamos, com o e-commerce, e com a indústria 4.0. 

Até o momento, você já deve ter percebido a relação entre inovação e economia digital, certo? Para compreender melhor como ela funciona, é preciso conhecer seus componentes.

Composição da economia digital

O complexo sistema da economia da tecnologia pode ser dividido em três componentes: os setores digital, da economia digital e da economia digitalizada. 

A categorização em setores não retira deste sistema o fato de que pessoas físicas e organizações também o integram, pois são quem produzem ou consomem produtos digitais e impulsionam seu desenvolvimento.

E quanto aos componentes, como funciona a economia da tecnologia? Veja a seguir.

Setor digital

São as tecnologias necessárias que fornecem a infraestrutura da economia digital, desde a criação e o desenvolvimento de redes de comunicação e computadores até a democratização do acesso à internet.

Setor da economia digital

São meios digitais, como aplicativos, softwares e serviços de pagamento digitais que surgem no contexto da transformação digital. 

Setor da economia digitalizada

Formado por segmentos que digitalizam bens e serviços e utilizam modelos de negócios digitais, como a indústria 4.0, os e-commerces e a agricultura de precisão.

Entendeu como inovação e economia digital andam juntos? Isso fica ainda mais explícito quando se conhece a base desse sistema. 

Que tal conhecer quais são os pilares da economia digital?

Quais são os pilares da economia digital?

Quais são os pilares da economia digital?

Os pilares da economia digital estão relacionados às tecnologias de informação e comunicação (TICs), ou seja, àquelas que fazem parte da infraestrutura do setor digital.

Isso porque este sistema, como apontamos, se baseia em incorporar tecnologias nos processos empresariais para criar produtos e serviços inovadores no setor. 

A mudança de uma nota fiscal física para a eletrônica, por exemplo, só foi possível a partir desses pilares.

Conheça a seguir a base da economia da tecnologia.

Segurança da informação

Com o crescente armazenamento e o compartilhamento de dados digitais nas organizações, a segurança da informação tornou-se indispensável.

Isso porque suas ferramentas são o alicerce para o funcionamento da digitalização da economia, o que torna seu acesso uma das principais preocupações das empresas.

Para assegurar o bom funcionamento do sistema, é preciso garantir a proteção contra ameaças, como vírus, ataques cibernéticos e invasões de privacidade. 

E, considerando este pilar, o que a economia digital exige? Soluções de segurança da informação, que monitoram o tráfego de dados e identificam possíveis falhas de segurança.

Conectividade

A conectividade é o que permite que os diferentes dispositivos e sistemas estejam interligados, o que torna possível o compartilhamento de informações. 

Sua aplicação na economia da tecnologia é exatamente a conectividade de produtos e serviços.

A ótima experiência do cliente no ambiente digital só é possível com uma conexão de alta qualidade com baixa latência e confiabilidade. 

Com ela, os clientes se sentirão seguros para utilizar as opções digitais ao invés das opções físicas.

Excelência em execução

Para alcançar o sucesso nos negócios, é preciso ter excelência em execução. Isso significa se preparar para planejar as ações e cumprir o planejamento traçado de forma eficiente e ágil, o que se torna possível com o uso das tecnologias corretas.

A empresa que prioriza a oferta de produtos e serviços de qualidade, que atendam às necessidades do cliente e dos profissionais de maneira ágil, sabe exatamente o que fazer e qual tecnologia incorporar em seus processos.

E o que a economia digital exige? Veja algumas ações para alcançar excelência em execução:

  • Fazer a gestão eletrônica de documentos;
  • Investir em mobilidade, cloud computing e assinatura eletrônica;
  • Usar sistemas de gestão, como o ERP (Enterprise Resource Planning), para automatizar atividades;
  • Facilitar a vida do público por meio de soluções online para o seu negócio, o que também gera otimização dos seus processos;
  • Focar na experiência do cliente e investir em soluções que criam um contato orgânico na loja virtual, no site ou nas mídias sociais;
  • Instituir o trabalho remoto ou híbrido como modelo, para proporcionar aos colaboradores equilíbrio entre vida pessoal e profissional.

Tudo certo sobre quais são os pilares da economia digital? Mais uma vez, as práticas para alcançar esse novo modelo de atuação apontam para a relação entre inovação e esse sistema.

E vale lembrar que ele foi impulsionado pela pandemia do novo coronavírus.

Como a pandemia impactou a economia digital?

Agora que você já sabe o que é economia digital, é fácil entender como ela foi impactada pela pandemia da COVID-19.

Com o distanciamento social, as empresas aceleraram suas práticas que impulsionam a transformação digital. 

A digitalização da economia era uma questão de sobrevivência no mercado, e isso ficou comprovado em diversas pesquisas. 

Uma reportagem da CNN demonstrou que as empresas dobraram de tamanho com a economia da tecnologia. Em 2019, o valor das empresas digitais representava 1,8% do total brasileiro. Até o fim de 2021, a projeção estimada era de 4,5%.

Em 2016, 15,5% do PIB do mundo vinha da digitalização da economia, e a estimativa para 2025 é que seja 1/4 do PIB mundial.

A pesquisa CEO Outlook 2021 Brasil, da consultoria KPMG, trouxe dois dados interessantes:

  • 70% dos CEOs brasileiros possuem uma estratégia agressiva de investimento digital.
  • 64% dos CEOs brasileiros afirmaram que investem mais capital na compra de novas tecnologias, do que no desenvolvimento das habilidades digitais de seus profissionais.

Diante desses fatos, podemos afirmar que existe uma relação intrínseca entre inovação e economia digital. 

Afinal, a ampla adoção da tecnologia nos modelos de negócio é o que possibilitou a sobrevivência das empresas durante a pandemia.

No pós-pandemia, essa relação aparece com outro objetivo: aumentar a produtividade e melhorar o potencial de crescimento das organizações.

Esse é só um dos benefícios da digitalização da economia. Vamos conhecer quais as vantagens da economia digital?

Benefícios da digitalização da economia para as empresas

Benefícios da digitalização da economia.

A inserção das tecnologias nos processos produtivos proporciona mais assertividade e eficiência na execução das tarefas. Ao otimizar toda a cadeia, a entrega de bens e serviços se torna mais qualificada.

Vamos ver quais as vantagens da economia da tecnologia?

Assertividade na elaboração de relatórios e análises e na tomada de decisões

Tomar decisões com base em dados relevantes e precisos não é algo novo nas organizações. No entanto, o acesso às métricas está cada vez mais simplificado e facilitado para qualquer gestor. 

Com o uso de boas tecnologias, a elaboração de relatórios, as análises e consequentemente a tomada de decisões tornou-se um processo muito mais ágil e assertivo.

Comunicação facilitada e em tempo real

O uso das ferramentas de comunicação digital facilita a troca de informações em tempo real, algo fundamental para aprimorar a experiência dos colaboradores e dos clientes.

Por um lado, os profissionais podem usar, por exemplo, softwares de integração dos canais de comunicação e atendimento ou as redes sociais na relação com o cliente. 

Por outro lado, há aplicativos que facilitam a comunicação interna.

Tudo isso proporciona um melhor relacionamento com os stakeholders, o que contribui para a construção da lealdade e da confiança.

Abertura de novos mercados e serviços

O acesso a dados de diferentes mercados é um trunfo para as empresas, pois elas conseguem identificar necessidades e demandas que podem ser atendidas por novas soluções. 

Por isso, quando pensamos em inovação e digitalização da economia, temos em mãos um potencial para criar novos mercados e serviços. 

É uma forma de ampliar a possibilidade de lucro e de fortalecer a competitividade. 

Inovação constante

A inovação impulsiona e é impulsionada pela economia da tecnologia. 

Por isso, as empresas que passam pelo processo de transformação digital precisam não só adotar as ferramentas corretas, como promover a mentalidade de inovar constantemente. 

Ao incentivar a descoberta de novos ângulos na resolução de problemas, consegue promover a abertura de novos mercados e serviços e otimizar seus processos de negócio.

Agilidade nos negócios

Uma das vantagens que a ampla adoção de tecnologia proporciona é garantir a agilidade nos negócios a partir da automação.

Com o uso das tendências da nova economia e de ferramentas já consolidadas, as empresas automatizam suas atividades desde a produção até a distribuição de produtos e serviços. 

No entanto, isso se aplica também às atividades relacionadas a fornecedores e clientes.

Ao realizar as tarefas em ambiente online e em tempo real, consegue obter maior agilidade nos seus processos internos o que consequentemente agiliza a conclusão de novos negócios.

Entendeu quais as vantagens da economia digital? Essas são apenas alguns benefícios para motivá-lo a se adaptar à digitalização da economia!

Por que você deve se adaptar à economia digital?

Existem empresas que já se destacam na economia da tecnologia e apresentam um alto nível de maturidade digital. Mas qual o motivo que leva um empreendedor a se adaptar a este novo sistema?

Uma possível resposta está na pesquisa realizada pelo Centro de Estudos em Competitividade Internacional da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Ela avaliou o grau de maturidade digital de 91 multinacionais brasileiras. 

Os pesquisadores notaram um grau avançado de transformação digital das empresas, especialmente do agronegócio e as organizações “Born-Digital”. 

Isso pode ser justificado pela inserção em ambientes internacionais competitivos num contexto complexo de inovações disruptivas.

No entanto, eles concluíram que as empresas apresentam menor capacitação no tocante ao sistema de gestão

Na prática, as notas dadas a todas as organizações retratam a implantação de práticas e da mentalidade lean, mas não chegam à data-driven. Numa escala de 0 a 5, todas estão entre 3,5 e 3,7.

E o que isso quer dizer? O modelo das multinacionais brasileiras é baseado em pessoas como fonte e processadoras de informação, o que limita sua atuação

Em outras palavras, todos os setores (Agroindústria, Born-Digital, Manufatura e Serviços) sinalizam para sistemas de gestão com práticas e mentalidade lean, mas ainda não estão baseadas em dados.

É fundamental, portanto, mudar para um modelo em que as pessoas utilizam dados gerados, processados e distribuídos por sistemas digitais para tomar decisões.

No contexto da transformação digital, as empresas devem ter uma gestão ágil e orgânica, com estruturas ambidestras, grupos que podem se configurar rapidamente, e com tomada de decisões baseadas em dados. 

Isso aumenta o grau de maturidade e, mais do que isso, traz maior eficiência e assertividade para os negócios.

Este é o motivo de se adaptar e ficar atento às tendências da nova economia para digitalizar as operações. 

Como apontado, é uma forma de atender aos anseios do perfil do consumidor atual e de otimizar os processos internos para ter mais eficácia e ganhar competitividade no mercado. 

Conclusão

Fazer parte da economia digital é incorporar de forma maciça as tecnologias na atividade empresarial, desde a produção até a distribuição de serviços e produtos. 

Baseado em segurança da informação, conectividade e excelência em execução, a organização consegue usufruir de muitos benefícios deste sistema. Um deles é a inovação constante.

A propósito, sua empresa está de olho nas tendências da nova economia? Para se integrar a ela, é preciso investir em tecnologias disruptivas, digitalização e automação para desburocratizar e otimizar processos.

Mas, de igual importância, é preciso entregar valor ao cliente para conquistar sua confiança e lealdade, o que só é possível com um relacionamento nutrido constantemente.

Por fim, é fundamental ter a propensão à inovação em inúmeros aspectos, não só tecnológicos, mas também nos modelos de trabalho. 

A adoção do modelo híbrido, por exemplo, pode melhorar a experiência do cliente e também do colaborador, que é o foco da economia da tecnologia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.