Categorias
Blog

A nanotecnologia e os seus impactos na medicina

Provando que tamanho não é documento, a nanotecnologia na medicina tem mostrado que revoluções podem ser feitas usando-se materiais cada vez menores.

Criada no Japão, com o objetivo de desenvolver ferramentas em escala atômica, essa nova tecnologia busca promover inovações em muitas áreas e a saúde é uma das favorecidas.

Com o passar dos anos, tornou-se uma área promissora, ainda que desperta muita curiosidade e dúvidas com relação a como a nanotecnologia poderá impactar o mercado.

Apesar de todos esses receios, diversos cientistas e pesquisadores já têm experimentado essa inovação de várias maneiras, para solucionar problemas difíceis da sociedade de forma efetiva.

Pensando nesse contexto, entender mais sobre as aplicações dessa tecnologia no cotidiano pode ser bastante interessante. Nos próximos tópicos vamos explorar esse universo nano dentro da medicina. Boa leitura!

O que é nanotecnologia na medicina?

A nanotecnologia é uma área de estudo que se concentra em manipular materiais em nanoescala, ou seja, a escala atômica e molecular. As nanopartículas têm dimensão inferior a 100 nm (nanômetro — equivale a um bilionésimo de 1 metro).

Essa solução pode ser aplicada em várias áreas do conhecimento, como nanoeletrônica, nanofísica e nanociências. Sendo assim, a nanotecnologia na medicina, ou nanomedicina, é aquela voltada para a área da saúde.

Ela pode ser definida, então, como o uso de materiais nanométricos e dispositivos nanoeletrônicos para fins médicos e de diagnóstico.

Desde curar doenças até desenvolver soluções para facilitar o cotidiano dos trabalhadores da saúde, há muito o que produzir.

Mas como uma tecnologia em escala tão pequena consegue ter tanto potencial?

Estudos comprovam que elementos já conhecidos, como fósforo, prata e ouro, quando empregados em tamanho minúsculo, têm comportamento diferente do usual, como se suas propriedades tivessem sido alteradas.

“Quando o tamanho da substância diminui em uma escala nano, o número de partes presentes é reduzido, criando um material cujo tamanho é maior que seu volume”, explica Lívia Elisabeth Vasconcellos, professora do Departamento de Engenharia da UFLA.

Panorama atual da nanotecnologia na medicina

A nanotecnologia na medicina é um campo bastante visado. Não é à toa que, em 2020, o Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos investiu cerca de US$ 445 milhões na nanomedicina.

E a expectativa é que seu potencial na saúde só faça crescer: se espera que em 2026 o mercado de nanotecnologia médica deverá atingir US$461.252 milhões, segundo dados reunidos pela SeedScientific.

Mas para além dos números, os próprios estudos têm mostrado o papel da nanomedicina, como esse relatório de 2022, que examina o potencial de mercado atual e previsto para o setor.

Entre suas conclusões, ele observa que as principais áreas em que os produtos da nanomedicina tiveram impacto são doenças do SNC, câncer, doenças cardiovasculares e controle de infecções.

No entanto, seu potencial é muito maior. Por isso, a nanotecnologia tem trazido um leque de possibilidades para tópicos relacionados à saúde como um todo.

Aplicações da nanotecnologia na medicina

Aplicações de nanotecnologia na medicina

Vários setores são impactados diariamente por essa tecnologia, mas um dos que mais se mostram empenhados em promover a inovação é a área da saúde.

É por essa razão que a lista de aplicações da nanotecnologia na medicina é tão grande. Entre esses usos, podemos destacar:

  • Melhores técnicas de diagnóstico;
  • Desenvolvimento de medicamentos;
  • Microssondas na corrente sanguínea;
  • Uso do drug delivery;
  • Descontaminação de ambientes;
  • Reconstrução de tecidos sintéticos;
  • Nanorobôs no combate ao câncer;
  • Melhores equipamentos médicos;
  • Combate à pandemia do coronavírus.

A seguir, vamos explicar mais como cada um deles funciona!

Melhores técnicas de diagnóstico

O diagnóstico é a base para o tratamento eficiente de qualquer doença. Por isso, nanomateriais têm sido estudados como forma de melhorar esse processo.

Com a nanotecnologia, os médicos conseguem fazer diagnósticos mais precisos, principalmente pela coleta de informações em níveis moleculares em maior quantidade.

Assim, os nanomateriais têm a capacidade de detectar doenças em estágios iniciais. Isso significa que o tempo para o tratamento pode ser menor e as chances de sucesso são maiores.

Um exemplo dessa aplicação da nanomedicina é o kit de diagnóstico baseado em nanopartículas que funciona sob o conceito de Point-of-Care (POC).

O POC é baseado em ser uma forma de diagnóstico simples, rápida e fácil, que inclusive teve impacto no teste da covid-19.

Desenvolvimento de medicamentos

A nanomedicina também é muito conhecida por desenvolver medicamentos para o combate de diversas doenças. Também chamados de nano medicinais ou nanofármacos, eles são encapsulados em uma escala microscópica.

Nesse cenário, é importante explicar que estamos falando de drogas artificiais, pois o o